Você já ouviu falar em “mente milionária”? É um tipo de mindset em que as pessoas ajustam as suas crenças financeiras, de modo que criem uma relação positiva com o dinheiro. As finanças, para quem tem essa mente, deixam de ser um tabu, tornando-se um assunto natural e necessário para a prosperidade em diferentes áreas da vida.

Neste artigo, você vai conferir os 5 hábitos fundamentais para que você desperte a sua mente milionária. Isso fará com que você faça as pazes com o seu bolso e consiga deixar a sua vida financeira em ordem, com um bom potencial para enriquecimento. Ficou curioso? Então, continue a leitura e saiba mais sobre o tema!

1. Determine quanto você quer ganhar

Nas sessões de coaching, frequentemente falamos sobre a importância de definir objetivos para as diferentes áreas da sua vida. Naturalmente, isso inclui a vida financeira. Dessa forma, é importante que você tenha objetivos sobre o que fazer com o seu dinheiro.

Se você tiver uma meta em mente, isso servirá de estímulo e motivação para que você não faça compras impulsivas e sem planejamento. Por exemplo, se você deseja aposentar-se aos 55 anos, saiba que existem calculadoras pela internet que indicam quanto você deverá poupar e investir por mês para alcançar essa meta.

Como se diz popularmente, “carimbe” o seu dinheiro, sabendo direitinho para onde ele vai. Quando você tem metas financeiras, consegue administrar melhor os seus ganhos e gastos. Não se trata apenas de organização, mas também de motivação. Por isso é tão importante saber aonde você quer chegar, quanto quer ganhar, o que pretende fazer com o seu dinheiro etc.

2. Abandone conceitos antigos

“Eu nasci pobre e vou morrer pobre”. “Eu jamais vou ficar rico”. “Só quem tem muito dinheiro precisa saber sobre investimentos”. “Está tarde demais para mudar a minha vida financeira”. “Nesse país, é impossível enriquecer sem cometer algum crime”. “Só enriquecem as pessoas com desvios de caráter”. “A poupança é o melhor investimento que existe”.

PSC Renascimento

Você acredita em alguma das frases acima? Se sim, não se culpe. Assim como a maioria dos brasileiros, você foi exposto a essas crenças, provavelmente desde a infância, e elas continuam sendo determinantes ao seu desempenho financeiro na atualidade.

A educação financeira é a área do conhecimento que pode, gradativamente, derrubar essas crenças e substituí-las por informações mais úteis, que mostram que você está no controle do seu dinheiro. Infelizmente, porém, essa área ainda está “engatinhando” no Brasil, pois o assunto foi considerado um tabu nas escolas e nas famílias por muito tempo. Contudo, nunca é tarde para aprender!

3. Encontre todos os dias motivos para agradecer

Você sabia que quando agradecemos por algo, estamos “comunicando” o universo de que estamos prontos para receber mais e mais? É por isso que a gratidão faz parte de uma mente milionária. Aliás, fica aqui um questionamento importante: se só fossem concedidas a você as coisas pelas quais já agradeceu hoje, o que você teria?

Agradecer é um processo mental muito importante. As pessoas que não têm esse hábito não reconhecem tudo aquilo que já têm e focam sempre naquilo que lhes falta. Isso faz desses indivíduos eternos insatisfeitos, pois nunca percebem as conquistas que já tiveram. Dessa forma, por mais que essa pessoa ganhe muito dinheiro, ela continuará com a sensação de vazio, querendo sempre mais. Ela confunde ambição com ganância.

Evite que isso aconteça com você. Por mais que você tenha metas financeiras e queira enriquecer, não se esqueça de ser feliz ao longo de todo o processo, e não apenas na linha de chegada. Não espere enriquecer para ser feliz. Seja feliz enquanto você enriquece.

4. Gaste com sabedoria

O dinheiro não é um fim, mas um meio para viver e prosperar. Portanto, entenda que ele é um recurso que precisa ser utilizado com muita sabedoria. As pessoas que gastam sem consciência não apenas deixam de prosperar, como inclusive podem endividar-se, o que é um cenário terrível. No Brasil, os juros são altíssimos e transformam qualquer endividamento pequeno em uma verdadeira bola de neve.

Dessa forma, pesquise preços e verifique se você realmente precisa daquilo que está prestes a comprar. Além disso, boas habilidades de negociação podem fazer com que você obtenha descontos consideráveis, que fazem aquela diferença que você tanto queria no fim do mês.

Isso não quer dizer que você deve abrir mão da diversão e do lazer. Contudo, saiba que mesmo esse tipo de gasto deve estar dentro das suas possibilidades. Em vez de ir ao cinema todo sábado, vá uma vez por mês. Assistir a um filminho em casa também tem o seu valor. Pequenas adaptações desse tipo podem ajudá-lo a administrar o seu dinheiro com eficácia.

5. Administre os seus ganhos

O que você faz com o seu dinheiro? De onde ele vem? Segundo os especialistas em finanças, é muito importante criar e atualizar uma planilha mensal, somando as suas fontes de renda (salário, pensões, aluguéis, rendas extras etc.) e também os seus gastos fixos e variáveis do mês.

Saber quanto você ganha permite que você possa viver dentro das suas possibilidades, sem extrapolar os seus limites financeiros — o que gera endividamento. Nesse sentido, verifique de que maneiras você pode aumentar os seus rendimentos. Fazer uma renda extra no seu tempo livre pode ser uma boa dica.

Além disso, faça cursos sobre educação financeira. Ao contrário do que diz o senso comum, você não precisa de muito dinheiro para investir. Existem opções bastante acessíveis que já garantem ganhos superiores à poupança. Não custa estudar um pouquinho para fazer o seu dinheiro se multiplicar de forma passiva.

Coloque em prática os 5 hábitos acima para despertar a sua mente milionária. Em longo prazo, você verá a diferença na sua qualidade de vida e na conquista de todos os seus objetivos. Sucesso!

E você, ser de luz, como avalia os seus hábitos financeiros? Você já tem uma mente milionária? O que falta para alcançá-la? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!