A quantidade de profissionais autônomos tem aumentado consideravelmente nos últimos tempos. Trata-se de um fenômeno registrado não apenas no Brasil, como também em muitos outros países. São profissionais que atuam por conta própria, divulgando os seus produtos e prestando os seus serviços.

Essa atividade oferece a liberdade de ser o chefe de si mesmo. Todavia, demanda muita disciplina e responsabilidade na hora de administrar o próprio dinheiro. No artigo a seguir, você vai entender os desafios desse tipo de trabalho e conferir algumas dicas para que os profissionais dessa categoria poupem dinheiro. Confira!

O que é trabalho autônomo? Por que ele tem se popularizado?

O trabalho autônomo é um modelo de trabalho em que o indivíduo conduz a sua vida profissional de forma independente, sem estar registrado em uma empresa, com chefes e regras institucionais. Ele atua como um profissional liberal, empreendedor ou prestador independente de serviços.

Sem um empregador fixo, esses profissionais costumam ter uma carteira de clientes e atuam em projetos diversos. Esse tipo de trabalho tem como principais características a liberdade para fazer os próprios horários, a autonomia na tomada de decisões e a responsabilidade sobre as próprias finanças.

Existem alguns motivos que explicam por que o trabalho autônomo tem se popularizado.

  • Flexibilidade: controle dos próprios horários, conciliando melhor a vida profissional com a vida pessoal.
  • Tecnologia: a internet e as telecomunicações permitem que as pessoas trabalhem de basicamente qualquer lugar e em qualquer horário, permitindo que os autônomos alcancem clientes de diferentes localidades.
  • Plataformas de trabalho: plataformas de trabalho online facilitam o encontro entre pessoas com necessidades e prestadores de serviços independentes.
  • Busca pela independência: vontade de ser chefe de si mesmo e de escolher os projetos em que deseja trabalhar, sem dar satisfações a um gestor.
  • Especialização e habilidades únicas: alguns profissionais têm habilidades tão especializadas que preferem a vida autônoma para atender clientes específicos, o que fica mais difícil atuando nas empresas.

Quais são os principais desafios do trabalhador autônomo?

A natureza independente do trabalho autônomo apresenta vantagens, mas também alguns desafios, sobretudo financeiros.

  • Instabilidade financeira: oscilações nas demandas de trabalho geram variações na renda mês a mês e dificuldade de planejamento. Há instabilidade contratual e períodos de inatividade.
  • Ausência de benefícios tradicionais: plano de saúde, férias, licença médica e vales são garantidos nos empregos tradicionais, mas ausentes no trabalho autônomo.
  • Responsabilidades administrativas: independente, esse profissional precisa cuidar da sua contabilidade, marketing, faturas, gestão de clientes etc.
  • Isolamento: muitas vezes, esse trabalhador se sente sozinho, na ausência de clientes e supervisores, tendo que tomar decisões sozinho e providenciar a própria infraestrutura.
  • Necessidade de investir na própria aposentadoria: ao contrário da CLT, com contribuições mensais automáticas, o autônomo deve poupar e investir na aposentadoria por conta própria.
  • Necessidade de equilibrar a carreira com a vida pessoal: o trabalho autônomo pode dificultar na hora de definir limites de demandas e horários de trabalho, desequilibrando as diferentes áreas da vida.
  • Questões legais: é preciso compreender legislações mais complexas referentes ao trabalho autônomo, como regulamentações e impostos.

10 dicas financeiras para o trabalhador autônomo

PSC Renascimento

Já que os desafios do trabalhador autônomo não são poucos, confira 10 dicas para que os profissionais que atuam dessa maneira possam poupar dinheiro.

  • Defina um orçamento e evite dívidas

Em primeiro lugar, acompanhe os seus gastos e ganhos mês a mês. É primordial que você administre todas as suas despesas, sem ultrapassar os seus ganhos. Antes de fazer um empréstimo, uma compra ou qualquer outro tipo de dívida, verifique se é realmente necessário e se você tem os meios para pagar a quantia depois.

  • Pague a si mesmo primeiro

Sempre que receber um pagamento pelos seus serviços, lembre-se de reservar uma porcentagem para a poupança, antes mesmo de pagar outras despesas. Esse processo é um pouco difícil, sobretudo no início, mas permite que você de fato esteja economizando uma quantia todos os meses.

  • Crie uma reserva de emergências

Desenvolvendo o hábito de poupar mês a mês, fica mais fácil construir uma reserva de emergências. O ideal é que ela tenha o valor de aproximadamente 6 meses do seu custo de vida. Você pode deixá-la na poupança, mas o melhor mesmo é depositar essa reserva em um investimento de liquidez diária. Ela é fundamental para lidar com imprevistos e momentos de falta de trabalho.

  • Mantenha as contas separadas

Tenha uma conta bancária para a sua pessoa física e uma conta para a sua pessoa jurídica. Se você misturar o dinheiro dessas áreas da vida, não conseguirá verdadeiramente saber a sua situação em nenhuma delas. Acompanhe separadamente as receitas e despesas da vida profissional.

  • Avalie os seus gastos e negocie despesas fixas

Todos os meses, avalie as suas despesas, de modo a identificar o que pode ser cortado ou reduzido, encontrando alternativas mais econômicas. Além disso, sendo um profissional autônomo, negocie com fornecedores e prestadores de serviços para obter melhores preços e condições de pagamento. Isso vale para a internet, seguros etc.

  • Automatize as suas finanças

Como são muitas as responsabilidades financeiras do profissional autônomo, automatizar alguns procedimentos financeiros evita esquecimentos. Para isso, programe o que for possível, como pagamentos em débito automático e até mesmo transferências mensais para os seus investimentos.

  • Invista em educação financeira

Para que você seja uma pessoa bem-sucedida, além de estudar sobre a sua área de atuação, invista também na aquisição de conhecimentos financeiros. Acompanhe as notícias, leia livros sobre o assunto e siga profissionais do setor. Isso o ajudará a tomar decisões mais informadas sobre investimentos, economia, impostos e gestão financeira.

  • Organize o pagamento de impostos

Para exercer formalmente uma atividade profissional enquanto profissional autônomo, o indivíduo precisa pagar impostos de pessoa jurídica. Isso lhe garante alguns direitos. Por isso, reserve uma porcentagem da sua renda para efetuar esses pagamentos sempre em dia. Com finanças desorganizadas, você corre o risco de ser desenquadrado da formalidade pelo governo. Evite!

  • Diversifique as suas fontes de renda

É importante diversificar as suas fontes de renda. Para isso, enquanto profissional autônomo, sempre invista em comunicação, de modo a obter diversos clientes. Além disso, se possível, diversifique os serviços que você oferece e mantenha-se atualizado. Isso proporcionará maior estabilidade financeira.

  • Planeje a sua aposentadoria

Por fim, como não há uma contribuição automática, o trabalhador autônomo precisa planejar a própria aposentadoria. Dessa maneira, estude os planos de aposentadoria individual e verifique como é possível investir neles, de modo a garantir um futuro tranquilo.

É claro que cada situação é única, e a realidade de um trabalhador autônomo pode ser muito diferente da realidade do outro. Todavia, as recomendações acima são válidas em todos os casos. Na dúvida, procure orientação financeira especializada!

Gostou deste conteúdo? Então, deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!