Falar sobre um mundo sem internet é quase impossível. A humanidade tem se tornado cada vez mais dependente dela, e isso se vê de diferentes formas. Sem internet, como você se comunicaria com quem está distante? Executaria as suas atividades profissionais? Tiraria as suas dúvidas sobre os mais curiosos temas? Encontraria o restaurante tailandês mais perto da sua casa? Descobriria o nome da música que está tocando no rádio?

Não dá para negar que tudo seria mais difícil sem a internet na atualidade: se comunicar, pesquisar preços, fazer compras, trabalhar, estudar e até se relacionar. No entanto, pesquisadores da NASA têm feito descobertas importantes sobre a atividade solar e os seus impactos sobre os sistemas de internet no mundo. Será que o astro-rei pode significar o “apocalipse” da internet? Você conseguiria viver sem ela? Continue a leitura e entenda melhor essa história!

Os estudos da NASA

Em 2018, a NASA iniciou uma missão espacial, em que lançou uma nave para posicionar-se próximo à superfície do Sol. O local apresenta condições extremas, mas, mesmo assim, o aparelho foi capaz de transmitir importantes informações sobre as atividades solares e as suas consequências sobre as ações humanas.

O risco da perda de sinal de internet no mundo, ou ao menos em algumas regiões dele, é um alerta emitido em consequência dos ventos e tempestades solares. O que gera preocupação é que esses eventos impactam diretamente o campo magnético terrestre, o que pode prejudicar o funcionamento dos satélites artificiais e da internet na Terra por algum tempo.

Os ventos solares

O Sol emite fluxos de partículas carregadas — prótons e elétrons — em diferentes direções, na sua superfície. Esses fluxos são conhecidos como ventos solares e ocorrem na superfície solar, em uma área conhecida como “coroa”.

Os ventos solares alcançam longas distâncias espaciais e interagem com outros corpos celestes do sistema solar, inclusive com o planeta Terra. Quando isso ocorre, pode haver impactos sobre o campo magnético do planeta, o que pode gerar consequências sobre o clima espacial e sobre os sistemas de comunicação por rádio e satélite.

As explosões solares

PSC Renascimento

Além dos ventos solares, existem também as chamadas “explosões solares”, que são eventos mais intensos e não tão comuns. Nesse caso, há uma liberação repentina e massiva da energia do Sol na forma de erupções solares.

Quando isso acontece, quantidades enormes de partículas carregadas, radiação e campos magnéticos são ejetados para o espaço. Se essas explosões alcançarem a Terra, podem atingir a esfera magnética e também desencadear os problemas citados.

As consequências desses eventos

Esses eventos solares podem impactar os sistemas de comunicação que utilizamos aqui na Terra. É o caso dos satélites, dos rádios, das redes de energia elétrica, dos sistemas de posicionamento global (GPS) e da internet, entre outras formas de comunicação eletrônica.

A boa notícia é que, por mais que as tempestades solares possam interromper temporariamente os sistemas de comunicação, os órgãos responsáveis, como a NASA (National Aeronautics and Space Administration) e a ESA (European Space Agency), monitoram a atividade solar continuamente e emitem sinais de alerta antecipados diante de eventos mais intensos.

Esses sistemas de alerta precoce protegem os satélites e demais estruturas vitais na ocorrência dos ventos ou tempestades solares. Além disso, há outras tecnologias de mitigação de riscos, como a orientação dos satélites para proteção contra a radiação solar e o monitoramento de sistemas críticos. Tudo isso ajuda a garantir que os danos sejam sempre os menores possíveis.

Mas você seria capaz de viver sem internet?

Hoje em dia, a internet está intrinsecamente associada à vida da maioria das pessoas. É possível viver sem ela, mas isso geraria dificuldades e restrições significativas. Precisamos dela para sistemas de comunicação mais abrangentes, democratização do acesso à informação, trabalho e estudos online, serviços e transações online, entretenimento, e por aí vai.

Há quem opte por viver sem internet, ou ao menos tente limitar o seu tempo conectado, priorizando as conexões da vida real, a privacidade e a segurança. Todavia, para a maioria das pessoas, fica realmente difícil imaginar a execução das atividades diárias e a conexão com o mundo globalizado sem o sistema de redes de computadores. É por isso que a NASA e outros órgãos atuam com tanta dedicação ao monitoramento das atividades solares que podem gerar esse “apocalipse” da internet.

E você, ser de luz, conseguiria viver sem internet? Como lidaria com essa situação, mesmo que temporária? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais e propague estes aprendizados!