A meditação é uma prática milenar, cuja história se mistura à de grandes civilizações, como a Índia, a China e a Grécia, até chegar ao ocidente. Inicialmente, a prática era associada a determinadas tradições religiosas e espirituais. Hoje em dia, porém, não necessariamente existe um significado religioso por trás da meditação, de modo que qualquer pessoa pode desenvolver esse hábito e desfrutar dos seus benefícios.

Neste artigo, você vai entender melhor o que é meditar, quais são as vantagens de adotar essa prática e como é possível fazer uma meditação que alivia o estresse do dia a dia. Siga em frente e saiba mais sobre o tema!

O que é meditar?

Meditar é uma atividade que consiste basicamente em concentrar a sua atenção sobre um único fator. Esse fator pode ser o seu corpo, a sua respiração, um som, uma imagem, uma música, e por aí vai. A ideia é que possamos focar a atenção exclusivamente nesse fator escolhido, evitando momentaneamente que pensemos em outras questões.

Com a prática, esse exercício fica cada vez mais fácil, e nós conseguimos diminuir a quantidade e a velocidade dos nossos pensamentos. Contudo, não acredite que meditar seja “não pensar em nada”, pois isso é impossível. Trata-se apenas de concentrar-se em algo e relaxar por alguns minutos.

Quais são os benefícios físicos e mentais da prática?

Em termos físicos, a meditação oferece como benefícios a correção de posturas corporais que podem até mesmo aliviar dores, inclusive dores de cabeça. Tensões musculares são reduzidas, a circulação sanguínea é beneficiada (controle da pressão arterial), a respiração se torna mais profunda e eficiente, e até mesmo o sistema imunológico é fortalecido (ajudando o corpo a combater infecções).

Quanto aos benefícios mentais, a psicologia e a psiquiatria já têm comprovado que a prática, desde que seja regular, de fato auxilia no alívio do estresse do dia a dia. Ela também pode fortalecer a memória, melhorar o humor e auxiliar no tratamento e na prevenção de transtornos depressivos ou ansiosos, já que potencializa o autoconhecimento e ajuda o indivíduo a compreender e a lidar melhor com as suas ideias e emoções. Tomar decisões também tende a ficar mais fácil com a meditação.

5 dicas para meditar e aliviar o estresse

PSC Renascimento

Você deseja meditar, mas não sabe por onde começar? Saiba que você não precisa de muitas coisas para adotar essa prática. Confira as dicas a seguir e perceba como essa atividade é simples!

1. Escolha o local e o momento adequados

Meditar é simples, mas é importante escolher um local relativamente tranquilo e silencioso. Algumas pessoas conseguem meditar no horário de almoço no trabalho, mas o ideal é fazê-lo em casa, no seu quarto, no quintal, enfim, em um ambiente tranquilo, sem interrupções e distrações.

Desligue a televisão e coloque o aparelho celular no silencioso. Talvez seja bacana pedir a quem estiver no mesmo lugar que não o interrompa pelos próximos minutos. Verifique também qual é o melhor momento: ao acordar, no intervalo para o almoço, ou à noite, antes de dormir.

2. Escolha uma posição confortável

Não há uma posição ideal para meditar. A escolha fica por conta de quem medita, de acordo com o que o faça sentir-se mais confortável. Algumas pessoas meditam sentadas em cadeiras ou poltronas, outras preferem meditar sentadas diretamente no chão ou sobre um colchonete/tapete com as pernas cruzadas, e há, ainda, quem prefira meditar deitado.

O importante é o seu conforto: sem machucar nenhuma parte do seu corpo, sem bloquear a circulação, sem cansar os seus músculos, sem sentir frio ou calor etc. Apenas fique atento se optar por meditar deitado, pois, dependendo do grau de relaxamento que você alcançar, pode acabar pegando no sono.

3. Se desejar, coloque um fundo musical relaxante

Para meditar, é importante que você realmente “desligue” a sua mente momentaneamente do ambiente externo e se concentre no ato de meditar em si. Para isso, os fones de ouvido podem ser grandes aliados. Na internet, você encontra facilmente trilhas sonoras relaxantes para facilitar a prática meditativa.

Além disso, existem também as chamadas “meditações guiadas”, em que uma pessoa orienta as coisas que você deve imaginar para alcançar o relaxamento. No canal do José Roberto Marques no YouTube, por exemplo, você encontra muitas dessas meditações guiadas. Elas são uma excelente opção, especialmente para quem está iniciando na meditação!

4. Fique atento ao seu corpo e à sua respiração por alguns instantes

Um aspecto muito importante da meditação é concentrar-se em si mesmo, pois isso desacelera os pensamentos e promove o relaxamento. Para isso, foque no seu próprio corpo. Escaneie mentalmente as sensações do seu organismo, da ponta dos pés até o topo da cabeça. Perceba as sensações em cada parte do corpo.

Depois disso, fique atento à respiração. Realize respirações mais profundas e prolongadas, enchendo o abdômen de ar e soltando devagar. Faça isso algumas vezes, prestando atenção aos movimentos do seu corpo. Essa atenção focada favorece o relaxamento. Além disso, as respirações mais profundas e lentas “comunicam” o cérebro de que é hora de relaxar.

5. Lembre-se de que a frequência é mais importante do que a duração

Por fim, entenda que, na prática meditativa, a frequência é mais importante do que a duração. Por isso, é melhor você meditar 5 minutinhos diariamente do que 2 horas em apenas um dia da semana. Os benefícios citados acima são sentidos com a prática, ou seja, em longo prazo, e não de um dia para o outro.

No começo, é comum você se distrair com os próprios pensamentos. Quando isso acontecer, não se desespere nem se decepcione consigo mesmo. Apenas volte a sua atenção novamente ao seu corpo e à sua respiração. Seja paciente e medite, mesmo que seja por apenas 5 minutos por dia. Em longo prazo, você perceberá a transformação da meditação na sua vida, especialmente para aliviar o estresse!

E você, querida pessoa, já teve alguma experiência com a meditação? Qual a sua opinião sobre essa prática? Utilize o espaço abaixo para deixar o seu comentário. Além do mais, se este conteúdo o ajudou de alguma forma, curta e compartilhe este artigo nas suas redes sociais, levando estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas!