Por muito tempo, uma loja física era o único, ou ao menos o mais importante, meio de atrair e conquistar clientes para um negócio. No entanto, com a popularização da internet e de novas tecnologias, os canais de vendas têm se diversificado. Por isso, é importante que as empresas estejam onde os seus potenciais clientes estiverem.

Neste artigo, você vai entender o que são canais de vendas, quais são os principais tipos e quais são os cuidados que as organizações devem ter ao escolhê-los e administrá-los com sabedoria. Continue a leitura e saiba mais sobre o tema!

Canais de vendas: o que são?

Canais de vendas são os meios físicos e digitais por meio dos quais os potenciais clientes e as empresas entram em contato, possibilitando a realização de negociações que culminem na compra de produtos e/ou serviços.

Esses canais, portanto, são pontos de contato entre a empresa e a sociedade. Há canais físicos (lojas, revendedores etc.) e canas digitais (e-commerce, redes sociais, WhatsApp etc.). Escolher entre esses meios depende de cada negócio e de cada público a ser impactado. São locais de atração, persuasão, encantamento e fidelização de clientes.

Quais são os principais canais de vendas da atualidade?

1. Whatsapp

Queridinho entre os usuários dos smartphones, o WhatsApp é um aplicativo de trocas de mensagens. Ele favorece uma interação direta entre o consumidor e a empresa, como se estivesse em uma loja física. O canal pode ser utilizado para enviar promoções, tirar dúvidas e até mesmo concretizar as vendas, por meio dos gateways de pagamento disponíveis na atualidade. Se houver um bom atendente do outro lado, enviando vídeos e imagens dos produtos, o processo pode ter ótimos resultados.

2. E-commerce

E-commerce é um termo que vem do inglês, significando “comércio eletrônico”. É a tecnologia que permite que as empresas tenham websites e comercializem os seus produtos e serviços por meio deles. Assim, basicamente qualquer barreira geográfica pode ser superada.

PSC Renascimento

Nesses sites, o consumidor tem acesso à descrição de cada produto e às suas imagens/vídeos. Se estiver interessado, pode adicionar o produto escolhido ao carrinho virtual, fazer o pagamento e programar a entrega no endereço desejado, tudo sem precisar sair de casa. Além do website próprio, também há a possibilidade de os produtores anunciarem os seus produtos nos marketplaces, que são “shoppings online” para vários comerciantes.

3. Redes sociais

Além dos sites, também é possível que as empresas divulguem os seus produtos e concluam as suas transações comerciais por meio das redes sociais. No Instagram, por exemplo, é possível publicar fotos e imagens dos produtos, conversar com os clientes e até fazer parcerias com influenciadores digitais. Já no caso do Facebook, as empresas podem criar as suas páginas e construir verdadeiras comunidades, onde os clientes podem interagir entre si, tirar dúvidas e compartilhar as suas experiências. As duas redes permitem a publicação de anúncios para públicos segmentados.

4. E-mail marketing

O e-mail marketing ainda é muito utilizado para promover vendas. Na verdade, ele é um canal de comunicação que geralmente conduz as pessoas ao website das empresas e às suas páginas de vendas. O ideal é que a empresa construa organicamente uma base de clientes, e não que compre listas prontas, o que tornaria a comunicação muito mais invasiva. Contudo, se forem disparados e-mails apenas para pessoas potencialmente interessadas, a chance de conversão fica muito maior.

5. Loja física

As lojas físicas não poderiam ficar de fora da nossa lista. Por mais que os canais digitais estejam ganhando bastante força, muitos consumidores gostam de entrar em contato direto com a empresa, conversar pessoalmente com os vendedores e ver/pegar no produto que desejam comprar. É claro que gerir um ponto físico de vendas tem muitos custos administrativos, mas, dependendo do caso, o investimento pode valer a pena, desde que ele atraia consumidores em boa quantidade.

6. Catálogo

Os catálogos de produtos são publicações impressas que divulgam os produtos e serviços de uma empresa. Geralmente, eles são distribuídos em pontos estratégicos a pessoas que sejam potenciais clientes. Também podem ser utilizados por revendedores de porta em porta, como fazem muitas empresas de cosméticos. São canais de vendas muito comuns, mas que precisam ser utilizados com bastante planejamento, afinal de contas, há gastos envolvidos com produção e impressão.

7. Rede de afiliados

A rede de afiliados consiste em um conjunto de revendedores de produtos e serviços, geralmente em canais digitais. Basicamente, cada afiliado recebe um link de vendas a ser divulgado a potenciais clientes. Assim, cada venda realizada por meio daquele link gera uma comissão ao afiliado. Redes sociais, blogs e sites estão entre os meios mais utilizados pelos afiliados nesse trabalho de divulgação. Esses canais têm crescido muito em nível nacional e internacional, desde os anos 2010.

Como escolher os melhores canais?

Confira algumas dicas para selecionar estrategicamente os canais de vendas mais eficazes a serem utilizados no seu negócio:

1. Conheça o seu público-alvo em profundidade

O seu público-alvo precisa ver e pegar no produto antes de comprá-lo? Ele está familiarizado com a internet? Ele utiliza o Instagram? Ou ainda está mais focado no Facebook? Ele confia em revendedores terceirizados (afiliados)? É fundamental realizar estudos de mercado e pesquisas sobre o comportamento do seu potencial cliente. Como citamos acima, a sua empresa deve estar onde o seu público-alvo estiver. Isso evita gastos desnecessários com canais pouco úteis no seu caso.

2. Realize testes

Além das pesquisas, é importante que você também realize testes e mensure a eficácia dos canais utilizados. Por exemplo: imagine que você comercialize produtos via WhatsApp. Experimente fazer negociações pelo Instagram e verifique a aceitação do seu público sobre esse novo canal. Em conjunto com os estudos do item acima, ficará mais fácil entender o comportamento do seu consumidor e, consequentemente, escolher os canais de vendas mais estratégicos.

3. Organize a sua estrutura

Por fim, verifique as suas capacidades de atender os consumidores e de interagir com os potenciais clientes por meio desses canais. Não adianta estar presente em tantos canais de vendas diferentes se você não tiver tempo ou infraestrutura para dar conta dos clientes em cada um deles. Por isso, saiba que diversificar é importante, mas desde que você tenha equipes qualificadas para dar conta do trabalho feito em cada canal, já que eles apresentam características muito diferentes entre si.

Os canais de vendas, portanto, são os meios pelos quais as pessoas entram em contato com as empresas, e vice-versa. Essa seleção de canais é sempre muito importante e pode impactar os resultados obtidos pelas organizações. Escolha com sabedoria!

E você, ser de luz, tem canais de vendas que utiliza com mais frequência nos seus negócios? E enquanto consumidor, quais são os seus canais favoritos? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!